And1FPS: a trajetória do recordista em participações internacionais

15/10/2020

Jogador brasileiro de PUBG and1FPS jogando no PUBG Global Championship (PGC), em Los Angeles, nos Estados Unidos, em novembro de 2019

Destaque da 3ª temporada da Copa PUBG Masters com o recorde de eliminações em 2020, o brasileiro Andrey "and1FPS" Henrique está no topo desde o início do cenário competitivo e detém uma marca honrosa para a sua carreira: ele é um dos cyber-atletas da América Latina com maior número de participações em campeonatos internacionais.

Desde 2017, quando começou no PUBG, and1FPS já disputou quatro competições no exterior. Só ele e o também brasileiro Alan "rustyzera" Alves, companheiro em equipes anteriores, possuem tal retrospecto.

Os dois estiveram no FACEIT Global Summit, em Londres, no Reino Unido, em abril de 2019; no GLL Grand Slam, em Estocolmo, na Suécia, em julho de 2019; na PUBG Nations Cup, em Seul, na Coreia do Sul, em agosto de 2019; e no PUBG Global Championship (PGC), em Los Angeles, nos Estados Unidos, em novembro de 2019.

"Significa muito trabalho, esforço e dedicação para chegar onde estamos", aponta and1FPS. "Todo o apoio que tivemos nesse tempo competindo faz uma diferença grande. Eu e rustyzera sempre buscamos evoluir dentro do jogo, vendo onde estávamos errando para virmos mais fortes ainda. É fruto de um trabalho duro e a longo prazo, almejando sempre o topo".

Trajetória

A carreira de and1FPS se mistura à história do próprio PUBG. O brasileiro começou a jogar com amigos ainda na fase beta, em 2017, e logo entrou para o cenário competitivo, sendo contratado pela Brazilian Crusaders (BRC), uma das primeiras organizações de esports a investir na modalidade.

"Eu vi que teria um potencial enorme neste tipo de jogo. Fui sempre bem competitivo e dedicado, me esforçando para evoluir. No PUBG, vi que seria um jogo sensacional, voltado mais para o realismo e com uma gameplay em mundo aberto com muitos recursos", comenta o pro-player.

A BRC contratou a equipe de amigos de and1FPS em outubro de 2017, que, na época, também contava com Mateus "mateusVERO" Veronesi, Hiago "hiagguin" Hubner e Diego "DiegoSimoura" Simoura, substituído dois meses depois por Miguel "zFluxxx" Quadros.

Eles saíram do clube em abril de 2018, com o sentimento de que a dedicação à carreira competitiva no PUBG poderia dar frutos. "A primeira passagem pela BRC foi muito boa, adquiramos uma experiência satisfatória e nos ajudou pelo fator confiança, por ter alguém que apoia e acredita no seu potencial".

Jogador brasileiro de PUBG and1FPS durante uma partida, com a camiseta da equipe brasileira Brazilian Crusaders

Profissionalização

O cyber-atleta teve uma curta passagem pela Young Kings e, em meados de 2018, completou para a FURIA Esports na competição latino-americana do PUBG Global Invitational (PGI), o primeiro campeonato internacional do PUBG, realizado em Berlim, na Alemanha. O time ficou na 7ª colocação.

Após o torneio em São Paulo, no Brasil, o jogador recebeu o convite para fazer parte da noORG, equipe que havia terminado na 4ª posição do classificatório do PGI. O elenco acabou sendo contratado pela BRC, iniciando a segunda passagem de and1FPS pela organização brasileira.

"Este retorno significou muito para minha carreira. Conseguimos ótimos resultados em diversos campeonatos e tivemos um apoio enorme e um reconhecimento grande dentro do cenário. Estávamos treinando duro todos os dias e evoluindo cada vez mais", avalia and1FPS, considerando que esta segunda passagem marcou o início de sua carreira profissional.

Ele jogou outros jogos antes do PUBG e chegou a participar de competições amadoras. Mas, pela primeira vez, realizava o sonho de viver de esports, como sempre idealizou, desde quando começou a se envolver com games, aos 11 anos de idade.

"Sempre fui do mundo dos games e tinha o sonho de viver disso. Vinha me dedicando para isso e tive apoio dos meus pais", conta and1FPS, hoje com 24 anos. Ele nasceu e mora em Maringá, cidade de 350 mil habitantes do estado do Paraná, na região Sul do Brasil.

Quatro jogadores da equipe brasileira RED Canids Kalunga, entre eles and1FPS, em ensaio fotográfico antes da GLL Grand Slam, em Estocolmo, na Suécia, em julho de 2019

Competições internacionais

Pela BRC, o brasileiro disputou o FACEIT Global Summit. Depois, com a RED Canids Kalunga, esteve no GLL Grand Slam e no PGC. Representando a seleção brasileira, participou da PUBG Nations Cup.

São presenças que marcaram não apenas o cenário latino-americano, mas também a carreira de and1FPS. Ele, portanto, lembra com carinho dessas oportunidades.

FACEIT Global Summit: "Disputamos a ESL LA League - 2ª temporada e conquistamos a vaga para o FACEIT Global Summit. Participar de um campeonato fora do Brasil é uma experiência incrível. Poder jogar em outro país com os melhores é totalmente diferente: o estilo das equipes, principalmente as asiáticas, é bem agressivo. Tiramos muito daquela competição e voltamos com outra mentalidade, com uma nova experiência e estudando ainda mais os times".

GLL Grand Slam: "Ainda pela BRC, jogamos dois campeonatos para conquistar uma vaga para o GLL Grand Slam. Foi bem difícil. Nosso contrato com a BRC acabou e procuramos uma organização para representar. A RED Canids entrou em contato com a equipe, assinamos com ela e viajamos. Já com uma experiência boa e estudando as equipes, chegando lá tivemos pouquíssimo tempo de treino e para nos acostumarmos e tivemos uma certa dificuldade, pois o meta é bem diferente. Mas, no geral, tiramos muito daquele evento".

PUBG Nations Cup: "Foi uma sensação única poder representar e defender o Brasil. Foi, sem dúvidas, o melhor campeonato e a melhor estrutura de evento do qual já participei, apesar de o resultado não ter sido como esperávamos. Como eram equipes formadas por jogadores de diversas equipes, não tínhamos muito tempo de estudar tudo, mas conseguimos aplicar nosso jogo, desenvolvido pelo nosso treinador Nananga".

PUBG Global Championship: "Por meio da GLL LATAM Masters, conquistamos a classificação para o PGC 2019. Poder participar de um evento mundial com as 32 melhores equipes do mundo é uma sensação maravilhosa. Você estar lá, disputando com os melhores do mundo e tendo todo suporte e apoio de todos, é muito gratificante. Com o trabalho do Nananga, a preparação e a tática da equipe montada, conseguimos executar nosso jogo. Avançamos para a semifinal, mas, na última partida, não finalizamos a partida e deixamos de participar da final. Foi uma grande experiência. Conseguimos observar tudo, sentar e conversar no que erramos e no que precisamos melhorar para voltarmos ainda mais fortes".

Seleção brasileira jogando na PUBG Nations Cup, em Seul, na Coreia do Sul, em agosto de 2019

Satisfação e planos

Recordista, and1FPS faz uma avaliação positiva da carreira, mas não quer deixar de buscar conquistas ainda maiores.

"Considero minha carreira no cenário de PUBG muito boa, sempre almejando o topo e mantendo a constância, individual e coletiva. Já obtive diversas conquistas, mas minha maior meta hoje é conseguir uma vaga para competição lá fora e fazer uma boa campanha. É muito satisfatório estar em tantos campeonatos fora do Brasil e ver que o esforço e a dedicação colocados na minha carreira valeram a pena", destaca and1FPS.

Depois de sair da RED Canids, and1FPS não disputou a 1ª temporada do circuito competitivo de 2020, mas voltou com tudo a partir da 2ª temporada na Young Kings, com a 3ª colocação na Copa PUBG Masters e o vice na Copa PUBG Masters: Finais.

Nesta 3ª temporada, o brasileiro teve o melhor desempenho da fase de grupos, concluída no último dia 9. Foram 80 eliminações em 36 partidas ao longo de três semanas - o maior número de abates nesta fase da competição de todas as edições da Copa PUBG Masters.

É a prova de que and1FPS continua em alta e pronto para representar a América Latina em outras competições internacionais, o que elevará ainda mais a sua bem sucedida carreira no PUBG. "É um jogo que me abriu muitas portas e me trouxe as melhores experiências da minha vida".

and1FPS

Brazilian Crusaders

Copa PUBG Masters

RED Canids Kalunga

Young Kings