Jogadores dizem o que esperar da Grande Final da PCS5 Américas

13/09/2021

Grande Final da PCS5 Américas

Jogadores estão focados em conseguir bons resultados na Grande Final da PUBG Continental Series 5 (PCS5) das Américas, mirando a classificação para o PUBG Global Championship (PGC). O evento que é a última batalha pelo PGC acontece em 16, 17, 23, 24 e 30 de setembro e 1º de outubro, sempre a partir de 20h (BRT), com participação das 16 melhores equipes das Américas e premiação de US$ 250 mil (equivalentes a cerca de R$ 1,25 milhão).

CLIQUE AQUI PARA VER O GUIA DA GRANDE FINAL

Das 16 participantes, seis saíram da Fase de Grupos da América Latina, seis se classificaram por meio da Fase de Grupos da América do Norte e quatro passaram pelo Classificatório Última Chance.

Além de contar com premiação expressiva, que ainda será aumentada em razão do Desafio do Bolão, a PCS5 Américas classificará a campeã para o PGC e dará pontos de classificação para o PGC.

Tranquilidade da classificação

Líder do ranking para o PGC nas Américas, a norte-americana Soniqs já está entre as seis classificadas para o campeonato mundial, mas não quer deixar de figurar no topo do pódio, como fez na PCS4.

"Ganhar a PCS5 não é super crucial para nós, pois já estamos classificados para o PGC. No entanto, vamos tentar o nosso melhor para vencer porque queremos crescer nosso legado e ter outra conquista em nosso currículo", diz o jogador norte-americano Hunter "hwinn" Winn, da Soniqs.

Depois da conquista da PCS4 Américas, Soniqs ficou na 7ª colocação da ESL PUBG Masters: Fase 2.

"Nas finais da ESL, todos sentimos que não estávamos jogando à altura e sabíamos que seria um ajuste fácil voltar à forma para a PCS5", comenta hwinn. Na Fase de Grupos da América do Norte, a Soniqs venceu oito quedas e, com isso, se credenciou novamente como candidata ao título da PCS5 Américas.

Embalo de campeã

Outra equipe que está cotada para ser campeã é a norte-americana Oath, a vencedora da ESL PUBG Masters: Fase 2 e que tem sempre brigado pelas primeiras colocações nas competições regionais.

"Recentemente, temos melhorado em evitar pequenos erros que podem nos custar jogos. Eu acho que a forma como a nossa equipe tem trabalhado recentemente é a melhor de todos os tempos, com o Kickstart tendo um impacto significativo nos chamados e nas lutas de equipe, enquanto Relo não tem que suportar tanta pressão quanto um IGL. Todos estamos jogando no nível que deveríamos e, se continuarmos nesse caminho, teremos uma chance muito boa de derrotar a Soniqs na PCS5", confia o jogador norte-americano Jake "Snakers" Winant, da Oath.

Para isso, a Oath conta com um facilitador: a posição no ranking das Américas, que lhe coloca como participante do PGC.

"Não temos a pressão que as outras equipes têm, o que, na minha opinião, nos tornará uma ameaça maior. Entramos no último jogo dos classificatórios para a ESL pensando que precisaríamos estar entre os quatro primeiros colocados na PCS5 para chegar ao PGC. Depois de vencermos a ESL, podemos relaxar neste campeonato e nos concentrarmos em ser o nosso melhor e chegarmos ao topo. É importante como sempre para nós ganhar uma PCS. E eu acho que esta é a nossa melhor chance até hoje", destaca Snakers.

Susto e confiança

Mesmo com o susto no caminho até a Grande Final, a norte-americana TSM FTX tem tudo para chegar ao topo, na opinião do jogador norte-americano Kurtis "Purdy" Bond. E o motivo para isso é que, conforme o atleta, a equipe é uma das mais poderosas do planeta.

"Nós somos uma das melhores equipes do mundo. Este é um jogo de busca da perfeição e eu acredito que temos um dos melhores grupos para fazer exatamente isso", comenta Purdy.

De acordo com o jogador, a TSM FTX não ficou no top 6 da Fase de Grupos da América do Norte e, portanto, não se classificou diretamente para a Grande Final porque teve jogadas e atuações individuais ruins em certos momentos e sofreu com os ataques da Soniqs e da eUnited. Ele disse que, no Classificatório Última Chance, a equipe reencontrou o caminho certo, mas ainda com muitos erros, que precisam ser trabalhados para a Grande Final.

"Estamos sempre confiantes em tudo o que jogamos. Se não estiver, você já perdeu. Vou falar da minha confiança pessoal porque não quero falar pela equipe. Minha confiança na minha equipe vem do fato de ter alguns dos melhores jogadores do mundo com boas cabeças. Se algum deles for o último vivo, sempre penso "tudo bem, essa pessoa está viva, ela pode vencer o 1v4" ou o que quer que seja", aponta Purdy.

Mudanças para melhorar

O brasileiro Pedro "sparkingg" Ribeiro, da norte-americana Dignitas, que também precisou passar pelo Classificatório Última Chance para chegar à Grande Final, está confiante na obtenção de Chicken Dinners.

"Estou muito confiante e empolgado. Tivemos mudanças de treinador, atitudes e mindset, além do tempo de adaptação, já que ninguém aqui tinha jogado com o outro antes, com exceção do Shinboi com o Poonage. Estamos super confiantes para deixar nossa marca nesta PCS5", comenta o jogador.

Ele diz que a não classificação pela Fase de Grupos da América do Norte não pode ser considerada um resultado decepcionante, "pois mantivemos uma consistência e fomos uma das equipes com mais abates, porém falhamos em ter mais uma vitória que precisávamos para classificar. Estamos nos adaptando e também tentando manter um estilo de jogo não só focado para a nossa região mas também para campeonatos internacionais".

Grande performance

A latino-americana FIUMBA teve o melhor desempenho da Fase de Grupos da América Latina, com cinco Chicken Dinners e 143 eliminações de adversários. A equipe se classificou para a Grande Final depois de ter ficado na 4ª colocação da ESL PUBG Masters: Fase 2.

"Eu penso que, apesar de termos vindo da ESL anterior, jogando todos os dias e colocando toda a nossa energia nisso, conseguimos alcançar uma boa Fase de Grupos porque tivemos uma boa adaptação no último torneio. Isso nos deu uma certa confiança para enfrentar qualquer situação. Além disso, os rapazes tiveram um nível excelente e sempre encontramos as falhas para alcançar uma ótima performance", comenta o jogador argentino Facundo "Capitan" Solsona, da FIUMBA.

Ele protagonizou incríveis jogadas na Fase de Grupos e se destacou individualmente, mas exaltou o coletivo como principal arma da FIUMBA. "Os nossos pontos fortes são a motivação que temos para alcançar o PGC 2021 e o bom grupo que construímos no que diz respeito à sinergia da equipe".

O objetivo da equipe latino-americana é estar no pódio da PCS5 Américas, de acordo com Capitan. "O nosso principal objetivo é o top 3. Eu penso que estamos em um bom nível para podermos lutar pelo topo da tabela e vamos dar tudo de nós para conseguir".

Gameplay afiado

Outra destaque da Fase de Grupos da América Latina, a brasileira Black Tiger se formou pouco antes da PCS5 Américas e já deu certo logo de cara, com cinco vitórias e 107 eliminações de adversários.

"Eu acho que a gameplay apenas deu certo", aponta o jogador brasileiro Felipe "KF9sk" Scigliano, da Black Tiger. "Nós quatro somos super tranquilos, sem ninguém colocar pressão em ninguém e apenas jogamos o básico do jogo do jeito que deve ser jogado".

Para KF9sk, a expectativa é de uma boa performance na Grande Final.

"Nossa expectativa é dar o máximo de nós para representar a nossa região. Já provamos na Fase de Grupos que somos capazes de atingir muito e estamos com um sentimento de enorme confiança para a final", exalta o brasileiro. "O resultado que queremos é o top 1 para conseguir jogar o PGC. Para atingir esse objetivo, a gente simplesmente tem que ficar na frente do campeão do último mundial. Não será uma tarefa fácil, mas impossível não é, apenas vai depender do nosso esforço e talento".

Caminho vitorioso

A Young Kings já provou que é possível estar entre as melhores. Na ESL PUBG Masters: Fase 2, a equipe brasileira venceu a Semana 2 e ficou na 2ª colocação da classificação geral, atrás apenas da Oath.

"Estamos trabalhando duro para obter o melhor resultado possível. Nós almejamos a classificação para o PGC. A dificuldade, eu acredito, é que vai depender só da gente não cometer os mesmos erros da Fase de Grupos, assim alcançando nosso objetivo", analisa o jogador brasileiro Luiz Miguel "zFluxxx" Quadros, da Young Kings, que passou para a Grande Final da PCS5 Américas com a sexta melhor campanha da Fase de Grupos da América Latina, no limite da zona de classificação.

De volta ao topo

A latino-americana Synergy Esports avançou à Grande Final com o 3º lugar da Fase de Grupos da América Latina, voltando a estar no topo, depois de não se classificar para a decisão da ESL PUBG Masters: Fase 2. Na ocasião, a equipe amargou a 15ª colocação da Fase de Grupos.

"Mudamos para jogar um pouco mais seguros e focar em sobreviver os quatro juntos nas últimas fases. Fizemos uma reconfiguração de mentalidade que nos ajudou muito a melhorar neste formato", explica o jogador paraguaio Daniel "paraguaShootk" Arce, da Synergy Esports, sobre a evolução da ESL PUBG Masters: Fase 2 para a PCS5.

"Aos poucos, estamos ganhando mais experiência e tentando encontrar sinergia com a equipe", comenta paraguaShootk, destacando a positividade como principal característica da Synergy Esports. "Somos muito positivos e muito autocríticos para melhorar".

"Espero representar muito bem a América Latina e que possamos demonstrar o trabalho que temos feito nos últimos meses. Esperamos nos classificar para o PGC. Temos que polir o final dos jogos para poder comer o frango", aponta paraguaShootk.

Entrosamento e poder de fogo

O jogador brasileiro Alan "rustyzera" Alves, da TROGLODITAS, aposta no entrosamento e no poder de fogo da equipe para brigar pelas primeiras colocações. Os brasileiros avançaram para a Grande Final com o 5º lugar da Fase de Grupos da América Latina.

"Tivemos um bom desempenho durante a Fase de Grupos, o nosso maior objetivo era se classificar entre o top 6 para não precisar disputar o Classificatório Última Chance e conseguimos isso", afirma rustyzera.

Ele, que é um dos mais experientes jogadores de PUBG da América Latina, acredita em uma competição de alto nível para encerrar a temporada competitiva regional de 2021. 

"Espero que seja um campeonato de nível bem alto, pois é o último campeonato que vale pontos para participar do PGC. Nós pretendemos ser o mais constante possível durante as três semanas para brigarmos pelo topo e conseguirmos o máximo de pontos para o PGC", defende rustyzera.

Para ver esses e outros astros em ação nos campos de batalha, não deixe de acompanhar a Grande Final da PCS5 Américas, nos dias 16, 17, 23, 24 e 30 de setembro e 1º de outubro, sempre a partir das 20h (BRT). Haverá transmissão em Português e Espanhol para o público latino-americano.

Américas

Grande Final

PCS5

PCS5 Américas

PUBG

PUBG Continental Series