Jogadores de Meta e FURIA exaltam campanha e aprendizado no PGI.S

01/04/2021

Palco do PUBG Global Invitational S, na Coreia do Sul

De volta aos seus países, jogadores da latino-americana Meta Gaming e da brasileira FURIA exaltam a experiência adquirida no PUBG Global Invitational S (PGI.S), a ser compartilhada com as demais equipes da América Latina.

Depois de dois meses de PGI.S, jogando com os melhores atletas do cenário competitivo internacional, eles acreditam que retornam da Coreia do Sul com uma enorme bagagem, o que pode contribuir para a elevação do nível da América Latina. Os campeonatos regionais começarão no dia 7 deste mês e serão realizados em conjunto com a América do Norte, na região nomeada como Américas.

A Meta Gaming conquistou a 7ª colocação do PGI.S, que teve 32 equipes participantes, enquanto a FURIA ficou na 26ª posição.

Jogadores da equipe latino-americana Meta Gaming no PGI.S

"Foi uma campanha histórica para a América Latina", crava o brasileiro Pedro "sparkingg" Ribeiro, jogador da Meta Gaming. "A América Latina nunca tinha sido tão bem representada como neste campeonato. O máximo que tínhamos chegado era ao 6º lugar [no GLL Grand Slam, em 2019], mas o torneio não tinha equipes da Ásia, então a dificuldade era menor".

Ele pontua que, na quinta Weekly Final, a Meta Gaming ficou só 3 pontos atrás da campeã, a sul-coreana Gen.G. Se tivesse liderado aquela semana, a equipe chegaria a uma posição ainda melhor na classificação final do PGI.S. 

"Foi uma evolução constante, porque nós só melhoramos desde o início, da primeira semana à última. [O resultado] não me satisfez por completo, por mais que seja muito difícil me satisfazer por completo. Eu sempre tenho a consciência de que poderia ter sido bem melhor. Sou feliz e grato pelo primeiro mundial que joguei, os desempenhos coletivo e individual foram bons, mas sempre espero mais", comenta sparkingg.

Jogador brasileiro sparkingg, da equipe latino-americana Meta Gaming, jogando o Survival Tournament no PGI.S

Aprendizados

Ele conta que, da participação no PGI.S, levará o aprendizado da importância da preparação mental e do relacionamento fora de jogo, buscando sempre melhorar.

"É muito importante o jeito que você convive com as pessoas e como lida com os fracassos e com os erros para melhorar", diz o brasileiro, que espera uma evolução do cenário latino-americano por consequência da participação da Meta Gaming e da FURIA no PGI.S.

"Não vamos jogar na América Latina do mesmo jeito que jogamos no mundial, mas é óbvio que a experiência traz muita coisa. O jogo que aprendemos e o jeito de jogar influencia muito dentro da América Latina e até contra Américas", analisa o jogador da Meta Gaming.

Evolução

Pensamento semelhante tem o companheiro de equipe de sparkingg, o argentino Nahuel "SzylzEN" Balseiro.

"Voltamos com muita experiência, e as equipes latino-americanas vão poder se beneficiar, mas vai depender delas nos estudarem e nos analisarem para se aproveitarem disso", explica o jogador.

Ele também classifica o 7º lugar no PGI.S como uma performance muito positiva e lamenta a equipe não ter se classificado para a sexta Weekly Final. "O desempenho foi muito bom. Melhoramos muito desde o início do torneio. O resultado é aceitável, mas poderia ter sido muito melhor se tivéssemos nos classificado para a última Weekly Final".

"Foi uma conquista muito importante para a região e pudemos mostrar ao mundo o potencial da América Latina"

SzylzEN
Jogador argentino SzylzEN, da equipe latino-americana Meta Gaming, jogando o Survival Tournament, no PGI.S

Equipe fortalecida

A FURIA terminou o PGI.S na 26ª colocação, mas também teve bons momentos na competição. A participação servirá para fortalecer a equipe.

"A avaliação geral é positiva. O time evoluiu bastante em vários aspectos desde que chegamos e os aprendizados serão muito bem usados no futuro", promete o brasileiro Alan "rustyzera" Alves, jogador da FURIA.

Ele destaca que o formato inovador do PGI.S, em que só a vitória interessava na Weekly Survival para classificar para a Weekly Final, exigiu ainda mais das equipes participantes. "O Survival te coloca em várias situações que você nunca vivenciou e isso vira uma experiência a mais. Também conseguimos evoluir outros aspectos no nosso jogo que usamos no formato SUPER".

"Espero que tanto nós quanto a Meta consigamos levar um pouco desse conhecimento e dessa experiência para as demais equipes da América Latina, fazendo com que, cada vez mais, o estilo de jogo e os padrões fiquem mais parecidos com o que são lá fora"

rustyzera

Estreante em competições internacionais, o brasileiro Marco Antonio "Necro" Pereira fez boas apresentações, tendo sido o jogador da FURIA com as melhores estatísticas individuais.

"Eu atribuo [a performance individual] bastante ao meu estilo de jogo, que sempre defini pensando em atuar internacionalmente, e principalmente aos meus companheiros de equipe, que tornaram possível ter bons números. Todo resultado individual é fruto do bom trabalho coletivo", pontua Necro.

Imagem aérea da equipe brasileira FURIA jogando o Survival Tournament no PGI.S

Felicidade

Ele também se mostra "totalmente feliz" com o resultado da FURIA e vê que o desempenho nos palcos internacionais "mostrou o caminho certo para evoluir".

"Bagagem totalmente essencial para melhorar para os próximos desafios como equipe. Muito aprendizado também no sentido pessoal. A convivência de três meses foi importante para conhecer bastante um ao outro e aprender a lidar com os obstáculos", destaca o brasileiro sobre os aprendizados, citando o período que os jogadores permaneceram juntos na Coreia do Sul. O campeonato aconteceu de 5 de fevereiro a 28 de março.

"A organização, eu imaginava ser algo totalmente grande, mas foi muito maior vendo de dentro. Foi tudo melhor do que imaginei, desde a primeira visita ao stage até a sensação de jogar contra os melhores. Não há nada melhor do que saber que eu tenho potencial para trocar de igual para igual", elogia Necro.

"O momento que mais marcou foi nossa primeira vitória na Weekly Survival. Foi quando eu vi o quanto estávamos preparados para o desafio que seria esse campeonato. Marcou minha carreira"

Necro
Jogador brasileiro Necro em primeiro plano, com os companheiros da equipe Meta Gaming ao fundo, jogando o Survival Tournament, no PGI.S

Com Meta Gaming e FURIA de volta, é hora de iniciar o calendário competitivo das Américas em 2021. Clique aqui para saber mais sobre a primeira competição, a ESL PUBG Masters: Fase 1.

América Latina

Americas

Furia

Meta Gaming

Necro

PGI.S

PUBG

PUBG Global Invitational S

rustyzera

Sparkingg

SylzEN